6.6.16

A vida prega-nos grandes partidas. E, do dia para a noite, perdi o meu maior porto de abrigo sem saber sequer que o tinha perdido. Perdi-te nas grandes marés, perdi o teu rasto e nunca mais te encontrei. Dizem que "Deus escreve direito por linhas tortas" e eu pergunto-me vezes sem conta, porquê a mim? Se calhar, só um dia mais tarde irei perceber que foi o melhor para mim. Que amar alguém só faz sentido se for retribuído exatamente da mesma forma. Cheguei a acreditar que sim, que remávamos com a mesma força e na mesma direção. Acabei por perceber, da pior forma, que tudo não passou de uma ilusão. Agora, desejo com toda força que o tempo passe e que, com ele, leve toda esta dor que eu carrego no peito. 

1 comentário:

  1. Tenho andado um pouco ausente do blog porque o tempo que me resta, com esta época dos estudos, não é (praticamente) nenhum. Desculpem a minha ausência, no meu blog e nos vossos de alguma forma, mas apesar disso, tenho acompanhado todas as publicações, em instantes espreitadelas que não me permitem deixar um pequeno comentário. Depois dos exames prometo voltar de mãos e alma para este cantinho que tanto gosto!
    Um até já breve!
    Beijinhos da Nês

    ResponderEliminar