7.2.13

i'm still stuck in that time when we called it love...

Estou naqueles dias em que me apetece andar por ruas desconhecidas. Quem sabe, até mesmo ir aos sítios que mais me marcaram, nos últimos tempos, e tirar-lhes o significado que têm. Navegar em almas desconhecidas e conhecidas e tentar pôr um fim no que já acabou há demasiado tempo. Tenho frio. Tenho a janela aberta e esta brisa gelada até me está a fazer bem. Sinto os arrepios a percorrerem-me todo o corpo. Isto às vezes torna-se estranho. Engraçado, e sem ter graça nenhuma, mas só agora é que estou a ter noção da realidade. Sou demasiadamente dada a esperanças. Sempre acreditei que, voltando para aqui, o passado se pudesse tornar no meu presente, outra vez. Sorte dos diabos, é exactamente o contrário. Costumam-me  dizer que "há coisas piores, não é o fim do mundo e tudo passa". É certo. Mas, e quando a dor se entranha no amor? 

2 comentários:

  1. Força, tudo é possível se acreditarmos!
    Não me peças desculpa, podes desabafar sempre que quiseres! *

    ResponderEliminar
  2. Já me senti assim... Também sou dada a esperanças, mas é preciso acreditar e ser forte!
    Vou te seguir, gostei muito do teu blog

    http://explicar-o-inexplicavel.blogspot.pt/

    ResponderEliminar